domingo, 10 de abril de 2011

Nosso silêncio foi sepultado.

Hoje eu tiro meu coração,
com o sangue escorrendo pelas minhas mãos, e passo adiante.
Passo para que você possa colocar ao lado do seu coração e assim, consiga ressuscitar o seu, que já esta seco, vingativo, desequilibrado e rancoroso.
Eu não me importo de me sacrificar para que você consiga voltar a amar o próximo.
Será que você já percebeu que a culpa de tudo o que ocorreu naquele dia foi nossa? Foram anos e anos e anos em que aquele menino passou na mais completa solidão, sofrendo abusos, sendo humilhado, e com medo, com completo medo e vergonha de pedir ajuda. As vezes ele não sabia que podia pedir ajuda. Não julgue aquele rapaz doente, não faça a sua família ter medo de reconhecer o corpo, não perturbe o que já está perturbado....
O silêncio partiu dos pais, das escolas, dos amigos, dos vizinhos, dos ambulantes das ruas. O silêncio partiu de todos nós. Ninguém quis tomar uma atitude para o que ele estava se transformando! E TODOS viram e TODOS sabiam!
Hoje eu passo adiante o meu coração e espero que você passe o seu também. Não é apenas uma corrente do amor que quero montar é uma corrente de esperança, para que todos nós fiquemos atentos a esses jovens que sofrem nas escolas por não serem iguais, por serem diferentes...esses precisam de atenção....novos Wellingtons não devem aparecer...novas famílias massacradas, não...novas crianças morrendo, NÃO!
Eu rezo todos os dias pelas almas daquelas crianças, mas eu rezo ainda mais pela alma daquele rapaz, faz dias que ele aparece nos meus sonhos, a cada momento livre eu lembro dele e, agora, eu só posso rezar para que onde quer que ele esteja Deus tenha misericórdia da sua alma. E que Deus tenha total misericórdia da alma dessas pessoas que têm neblina nos olhos, elas não enxergam o óbvio...por isso, eu deixo um buraco no meu peito e fico inerte na minha cadeira na esperança de que você sinta e veja o que o meu coração viu e sentiu após aquele horror.

Nenhum comentário:

Postar um comentário