quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Recomeço

Estávamos sentados a mesa do restaurante há algumas horas, o silêncio reinava entre nós e só escutávamos o barulho dos garfos, de vez por outra, arranhando o prato.
Dessa vez,  eu prometi a mim mesma que faria tudo certo e a primeira delas era nao me atrasar.
 - Gostou da comida, meu amor?
- Uhum, muito agradável aqui.
Silêncio.
- O que está acontecendo?  - perguntei
- Sabe, amor....estou um pouco cansado desse seu ar dominador...
Engasguei com a comida e fiquei parada olhando para ele até falar:
- Que?
- Bom...você quer controlar toda a minha vida. ..e ainda quer saber até com quem eu posso ou não sair...
- Do que você esta falando? -  Eu disse
- Amor, você não pode negar que possui esse jeito dominador sobre mim.
Acho que a primeira reação que gostaria de ter era chorar, o meu corpo pedia para cair no choro ali bem naquele restaurante,  ele queria agora me colocar no papel de vilã da história da vida dele, já não bastava todos os leões que eu tinha que enfrentar por causa daquela relação. Já nãoo bastava tudo que ele já tinha conseguido me ofender para todo mundo, ele agora queria me ofender com o controle.
A minha segunda reação,  e a que provavelmente ele esperava, era que eu discutisse com ele ali mesmo.
E a minha terceira reação possível era silenciar...e foi assim que depois do interminável olhar sobre ele, sorri, repeti "dominadora" e voltei meus olhos para a comida.
- Foi para isso que você me chamou ate aqui? Com esse incrível almoço  nesse maravilhoso restaurante?  Perguntei segurando a taca de vinho.
- Na verdade,  foi porque ha muito tempo não fazíamos algo além da nossa rotina e queria vir aqui ha algum tempo com você. Estou com um saudade,  meu amor!
E segurou a minha mão.
- Eu também.
Eu o amava tanto, porque ele só sabia me magoar? Por que estávamos chegando em um estagio do nosso relacionamento em que acabava se tornando normal alfinetar o outro? Eu todos os dias buscava renovar o nosso amor...eu sei que ele estava buscando também. ..mas as vezes eu sentia que não ia funcionar.  Não sei...Talvez íamos morrer na praia.
Ele me parecia cansado cada vez mais mentia para mim.
E eu estava exausta de tanta mentira sendo despejada pela minha garganta,  tanto sapo que eu tive que engolir. E eu tinha certeza que ele nem se lembrava quem estava com ele em todos os momentos,  quem ligava para saber como ele estava,  quem deixava a minha casa ser um refúgio.
Mas era por isso que eu pensava,  será que o amor consegue superar tudo?
- O que você disse amor?
- Ah?
- O amor o que?
- Será que o amor supera tudo?
Ele parou para refletir um pouco.
- Acho que o amor é uma luta constante.  Porque sempre existiram muitas forças te mostrando outros caminhos. ..mas é o amor que te faz ficar...e o amor que te faz estar aqui e a mim também.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Entre Caminhos

O caminho do perdão.
Depois de tantos meses, finalmente consegui encontrar o caminho do perdão dentro de mim. 
Deus faz milagres dentro de nós e através dele eu acredito que todos os dias podemos fazer diferente em nossas vidas.
Eu venho tentando ser uma pessoa diferente também, mais mansa, mais carinhosa, mais compreensiva, mais segura. Percebi que para ser feliz preciso fazer as pessoas ao meu redor felizes também. 
O que eu tenho feito para tornar as pessoas felizes?
Percebi que era isso mesmo, era essa a pergunta que deveria fazer a mim mesma para conseguir viver bem.
Eu só seria feliz se conseguisse dar às pessoas ao meu redor um pouco da alegria da vida. E muito da possível da alegria de estar ao meu lado.
Esse ano de 2014 será um ano diferente para mim, para as pessoas que amo, para quem me importo. Esse ano, serei mais para os meus. E esses meus terão prazer de descobrir a felicidade perto de mim. Porque, em minha concepção, Deus é isso: alegria.
Por que permitir que os caminhos em meu entorno fiquem tão turbulentos?
Enquanto eu tiver a certeza de Deus dentro de mim, estarei feliz. Farei o bem.
E por meio de uma corrente, tentarei chegar a todos os outros e outras que conseguem usufruir da capacidade de entender o que é o amor. E se essas pessoas ainda não conseguiram entender o que é o amor, bem...só existirá uma solução para tudo isso. Amá-los. 
E você que está lendo esse post agora, tenha certeza disso...Eu te amo. Porque o amor move montanhas e enquanto existir amor entre nós, dentro de mim, ainda há a possibilidade mesmo que pequena, de salvação para todos nós.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Che

Corpo jogado ao chão.
Corpo enterrado na areia.
Fundamentos da vida em solidão.
Lama.
Sangue no peito.
Cheiro de morte.
Alma viva.
Resquícios de lembrança ao vento.
Ser lembrado por ter abandonado sua vida por seus objetivos?
Você acredita que pode mudar o mundo?
Todos podem ter seu Che.
Identificação Revolucionária.
Não entenda razões complexas.
Não me entenda.

domingo, 13 de outubro de 2013

Poesia ao chão

Havia uma arma apontada para o meu coração, éramos tolos em acreditar naquela paixão.

"barulho de tiro"

Lastimável horror, pequenos movimentos de intenso nojo entre mim e meu sangue, escorrendo, caindo ao chão.

" Segundo barulho de tiro"

Atingindo meus quadris. Mistura pungente.
Poesia e Sangue marcados com o sangue de horror,
mas como não achar que a pior convivência era aquele sangue, poesia, terra - misturadas- dilaceradas por pequenas palavras e solidão.
Coração corroído, mãe chorando, e poesia no chão.

ser quem vc quer

Sempre existirá um encantamento em cada pessoa.
"Só existirá encantamento para aqueles que se deixam cativar"

O que fazer quando guardamos rancor? Ainda não descobri como perdoar, são ensinamentos muito profundos. Como posso transformar a minha vida, minhas atitudes em boas atitudes?
Coesão interna? Estou entrando em colapso.

Posso desaguar?

A vergonha dobrou-se em dois, três e quatro.
A vergonha me cobre toda a manhã, me veste como roupa.
Nós caminhamos juntas e abraçadas, eu não consigo desvesti-la.
Me sufocando.
Segura meu peito, pressiona minha garganta.
E ainda me pedem para ser mais aberta.
Como posso ser mais aberta, se a vergonha me abraça, se a vergonha me invade e me domina.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

olhos verdes

 Eu poderia dedicar os minutos da minha vida a esse por-do-dol que todos os dias me é oferecido. Poderia contar aqui sobre batalhas e grandes saques, que me proporcionaram grandes riquezas. Poderia detalhar todos os caminhos que andei e, mesmo assim, nada, nada seria tão gratificante para mim do que poucos minutos olhando o sol da sacada da minha casa. Gostava de deitar na grama fofa e me saboreava ao ver os passarinhos voando para seus ninhos. Mas nada disso poderia realmente significar nada. Porque da vida. Não há um verdadeiro significado de nada. Eu me peguei tentando compreender qual o verdadeiro significado de ser quem você é nesse tarde, e entendi que você não pode ser quem você deseja ser, você tem que ser quem os outros querem que você seja. Eu poderia dedicar esse texto assim como Machado de Assis, ao último verme que passa pela minha carne, mas não. Na verdade, todas essas matáforas e devaneios serão embaralhados ao meu sentimento. Sim, mas como isso? Simples...a pessoa que ler, terá a missão de codificar tudo, ou então pode apenas ler e desistir de entender tudo o que se passa em meu peito pq a vida é muito mais do que texto e simple sorriso, a vida é uma batalha diária para sobreviver, mesmo que essa sobrevivência seja através dos sorrisos que vc tem a absoluta certeza de que eles só sorriem de volta pq não há alternativa. Pior o que ter que passar a vida tentando encontrar aquela pedrazinha que fica no coração dos apaixonados é descobrir que muitas vezes, e muitas vezes mesmo...quem vocês gostaria que se importasse com vc, simplesmente acredita apenas em sonhos tolos, pensamentos infantis e mundo da fantasia, enquanto que a sua fantasia é buscar muito mais do que sonhos que nunca serão realizáveis. Tudo bem, mas quem realmente é capaz de saber sobre o futuro? Apenas Deus com seu manto sagrado e seu sabre de luz, auxiliando os anjos do céu na luta diária da vida (Oi??) Na verdade, não acredito que seja isso, Deus não estaria em um altar, nem estaria com um saber, mas talvez um cajado, um cajado que ele apoie a cabeça, já que possui uma barba muito grande! Todo homem de sabedoria possui uma barba muito grande Deus então, putzz, deve ter a maior de todas. Devido a isso, somos pequenas bonequinhos feitos com lápis, aqueles bonequinhos que não possuem característica alguma, são todos iguais. Sim, isso é a humanidade para Deus, todos iguais, e muito amados. Porém, em meio a isso, existe um adjetivo muito utilizado, a inveja. A inveja nasce. Simplesmente. Ela brota do seu peito e aperta dentro do seu ego e te enlaça. É definitivamente, a grama do vizinho é mais verde que a sua. O que me causa muito desconforto é quando isso alcança o mais puro sentimento da face da Terra e até da além Terra, sentimento dado por Deus, o Amor. Veja bem, eu não falo de casais que sentem inveja do seu parceiro. Falo de quem tem inveja do casal, da felicidade, da confiança que um sente pelo outro, do carinho, dos sorrisos. Não há e nunca vai existir pior sentimento do que a inveja. O invejoso te faz acreditar que as coisas serão ruins, te faz temer, e ter insegurança. o invejoso também é seu amigo, mas nada...e trás muito desaconselho na vida. Por isso, como conselheira de uma pessoa que eu não conheço e, sendo assim, não tenho como ter inveja, posso propor um trato, trato não, conselho. Guarde sua felicidade. Deite no sofá da sua sala, eu falaria na grama do seu quintal, mas como eu tenho 100% de certeza que vc não possui quintal, o que é uma pena, deite no sofá mesmo. (espero que de o mesmo efeito). Feche seus olhos e diga em voz alta o primeiro pensamento que te vem na cabeça. Muito bem, muito bem! Agora, faça perguntas sobre esse pensamento. Conseguiu entender? Tlvz muitas perguntas que vc se faça estejam contidas respostas dentro de vc, dentro do seu coração, vc só precisava ficar em silêncio. Pronto. Eu tb fiz isso, na verdade, eu tenho feito constantemente para aliviar meu peito. Infelizmente, eu tenho 21 anos, e sofro de uma doença grave....

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

afinal o que é saudade, namorada?

Saudade é querer ficar sempre em um abraço apenas

é passar horas no skype, só p ficar mais perto

ou pelo menos tentar ficar.

É acordar e ainda na cama mandar mgs d bom dia

pq a primeira pessoa que vc gostaria de ver era ela.

Saudade é nao saber oq fazer com os dias,

é tentar encontrar coisas p fazer com os outros,

 mas sempre ter a sensação de que seria mais divertido se a pessoa tivesse.

Saudade é ficar relembrando sempre um passado,

ficar reavivando na memória.

Saudade é oq sinto por vc

todos os dias.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Te quero

Estávamos corpo a corpo, grudados.
Apertei-o forte em meu peito. Me movimentei. Ele percebeu e me olhou na escuridão.

- Está tudo bem?
- Não vá embora.

Ele me olhou, e sorriu com o canto do lábio.

- Meu amor, mas para onde eu iria?

Como explicar para ele o furação que se passava em meu coração, que todas as manhãs entendia que a vida era para ser vivida. E que ela poderia transformar juras de amor em nada, em esquecimento. Como explicar que por baixo dessa mulher que o apoiava em todos os momentos, segura, confiante, existia o medo, a insegurança, o ciúme. Como explicar que ela percebia que o destino dos dois seria cruel, e que eles estavam adiando o sofrimento. Mas que o sofrimento estava todos os dias sussurrando no ouvido. Como contar que já fazia uma semana de pesadelos sem ele. Não era fácil apenas dizer "amor, acho que o mundo não me acha digna de ti". Como contar do coração apertado e dolorido todas as manhãs. Como contar dos meus temores se ele era todos os dias tão confiante.

- Só não vá.

E abracei-o novamente. Ele me abraçou. De alguma forma eu entendia o quão difícil era amar.


fim

"Então nos afastamos. Me deparei acessando uma área do chip do meu celular em que havia o histórico das nossas mensagens. E que mensagens! Os abraços se tornaram mais afastados, os dias mais atarefados e as lembranças, tornaram-se lembranças novamente. Por mais que novas ações me fizessem quase colocar como segundo plano nossas emoções, eu ainda fazia, todos os dias, a terapia de lembrar da gente. Eu ainda tinha a esperança do retorno, das promessas de amor, de te encontrar. Talvez eu não tenha mais esperança de nada. Eu não queria mentiras. Eu não queria conversas apagadas, muito menos confiança montada. Eu queria voltar a ser leve, então nos afastávamos. Crise. Caráter? Fiz uma lista de tudo que queria ainda fazer com você, desde visitar o Chile até andar a cavalo na praça do Grajaú. Coloquei-a no fundo da gaveta. Que ela permaneça por lá. Não quero me lembrar dos sonhos que tive, não quero chegar no lugar e me deparar com a lembrança do que sonhei com a gente lá. De preferência, não em lembrarei do seu nome, muito menos do seu endereço. Não me lembrarei de mais nada. Porque o meu tempo era agora. E você não estava me estimulando em nenhum momento a buscar estar do seu lado. Você estava se afastando, eu estava me afastando...só o tempo iria dizer o que seria de nós."

Segurei aquela carta.
Percebi que era o nosso fim.
E chorei.

terça-feira, 16 de abril de 2013

para ele

             Deitei ao lado dele naquela cama de solteiro, o colchão era tão antigo que estava marcado, nos obrigando a ficar mais juntos. Depois de tanto tempo, lá estava eu sentindo seu calor novamente, sentindo seu cheiro e escutando seu coração. Pensar que eu achava que as coisas poderiam estar fora do lugar, mas percebi que nada poderia destruir tudo o que eu e ele construímos, toda a certeza que tínhamos. Mas, para mim, o pior era sabermos que  a vida nos chamaria lá fora, e que aqueles dias de calmaria um ao lado do outro chegariam ao fim, a cada dia se aproximava o nosso retorno a vida real. 
            Nos olhamos na escuridão, seus olhos denunciavam a saudade, e me faziam sentir em casa, naqueles minutos nos olhando, escolhi me calar, percebi que apesar de tudo aqueles seriam os nossos minutos sem euforia e sem risadas, seriam os minutos de reconhecimento um do outro. Estávamos tão perto que nossos narizes se encostaram, senti seu ar, e respirei-o, como eu queria que ele estivesse em mim, que nunca mais saísse de mim. Em segundos todas as nossas melhores recordações pareciam tão vivas, minhas tatuagens do coração antes adormecidas pareciam estar pulsando em meu peito. Ele balançou o nariz dando um "beijinho de esquimó" e deu aquele meio sorriso, que só ele dava.
           Eu o amava, como o amava! Nos beijamos...pele, beijo, mordida, toque, abraço, mão com mão, mão no rosto, mão no cabelo, mão na perna, beijo, beijo, beijo...nosso melhor beijo estava de volta...
Deitamos de conchinha, estava quase dormindo quando ele sussurrou em meu ouvido: "te amo, sempre vou te amar", me puxando ainda mais perto de si, como eu queria que conseguíssemos nos fundir um no outro, como eu queria que nosso encontro não tivesse fim. Sentia que ele começava a chorar, e eu comecei a chorar também, mas não me virei continuei na mesma posição com os olhos fechados e as lágrimas escorrendo do meu rosto. "Queria que tudo isso não terminasse", eu disse. Ele passou a mão no meu cabelo. "Eu também não." Logo depois dormi, com a esperança de que o dia seguinte fosse o mesmo que o passado, que o tempo não estivesse passando, que teríamos o nosso para sempre, pra sempre.